Culto da Virada

SAM_0010[5]


Palavra Profética para 2012

SAM_0013[8]

Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus. Mateus 4:17

Jantar da Comunhão

SAM_0046[7]

 

O QUE EU FIZ EM 2011?

Por Leandro Leme

Sermão pregado em 31 de Dezembro de 2011 na IEMREGrajaú – São Paulo/SP

Texto: II Crônicas 7:15-22

INTRODUÇÃO

Salomão tinha uma obra a fazer: construir a casa do Senhor. Dedicou-se neste projeto porque amava a Deus e tinha uma profunda gratidão. Na sua humildade pediu um coração compreensivo, com uma sabedoria que foi maior de todas teve uma riqueza incontável e seu andar tinha que ser igual a do seu pai Davi. (1 Rs 3).

A história de Salomão nos faz refletir sobre o ontem, o hoje e o amanhã.

1. ONTEM: O que você fez?

 

a. Foi tudo em vão, sem propósitos?

b. Fez alguém sofrer?

c. Abençoou alguém?

 

Se o que você fez agradou o coração de Deus pode ter certeza que os Seus olhos e os Seus ouvidos estarão atentos a sua vida.

 

“Agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração deste lugar. Porque agora escolhi e santifiquei esta casa, para que o meu nome esteja nela perpetuamente; e nela estarão fixos os meus olhos e o meu coração todos os dias.” 2 Cr 7:15-16 (ACF)

2. HOJE: O que você está fazendo?

a. Deus está incluído em seus planos?

b. É sensato, útil e proveitoso?

c. Vale para amanhã e para a eternidade?

 

Se o que você está fazendo está agradando o coração de Deus pode ter certeza que as promessas do Senhor se cumprirão na sua vida.

 

“E, quanto a ti, se andares diante de mim, como andou Davi teu pai, e fizeres conforme a tudo o que te ordenei, e guardares os meus estatutos e os meus juízos, também confirmarei o trono do teu reino, conforme a aliança que fiz com Davi, teu pai, dizendo: Não te faltará sucessor que domine em Israel”. 2 Cr 7:17-18 (ACF)

 

3. AMANHÃ: O que você fará?

a. Será do agrado do Senhor?

b. Trará bênçãos para a Igreja?

c. Glorificará o nome de Cristo?

 

Se o que você está pensando em fazer agradará o coração de Deus pode ter certeza que ninguém impedirá o agir de Deus na sua vida.

 

“Ainda antes que houvesse dia, eu sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; agindo eu, quem o impedirá?” Isaías 43:13 (ACF)

PONTO DE ATENÇÃO!

 

Porém se vós vos desviardes, e deixardes os meus estatutos, e os meus mandamentos, que vos tenho proposto, e fordes, e servirdes a outros deuses, e vos prostrardes a eles, então os arrancarei da minha terra que lhes dei, e lançarei da minha presença esta casa que consagrei ao meu nome, e farei com que seja por provérbio e motejo entre todos os povos.

E desta casa, que é tão exaltada, qualquer que passar por ela se espantará e dirá: Por que fez o SENHOR assim com esta terra e com esta casa? (grifo autor)

E dirão: Porque deixaram ao SENHOR Deus de seus pais, que os tirou da terra do Egito, e se deram a outros deuses, e se prostraram a eles, e os serviram; por isso ele trouxe sobre eles todo este mal.

 

2 Cr 7:19-22 (ACF)

 

 

Mas, se você e o seu povo deixarem de me seguir, se desobedecerem às leis e aos mandamentos que lhes dei e se adorarem e servirem outros deuses, então eu os arrancarei da terra que lhes dei. E também abandonarei este Templo, que separei para ser o lugar onde devo ser adorado.

Aí todos os povos vão desprezar e zombar do Templo, que agora é tão glorioso. Todos os que passarem por perto dele ficarão chocados e perguntarão: “Por que foi que Deus fez isso com esta terra e com este Templo? ” (grifo autor)

E a resposta será: “Foi porque os israelitas abandonaram o SENHOR, seu Deus, que tirou do Egito os antepassados deles. Eles seguiram outros deuses e os adoraram e os serviram. Foi por isso que o SENHOR fez com que toda esta desgraça caísse sobre eles. ”

 

2 Cr 7:19-22 (NTLH)

 

CONCLUSÃO

“Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios.” Salmos 90:12 (ACF)

Portanto, avalie o que você fez, o que está fazendo em 2011 e o que fará em 2012. A decisão é sua!

Santa Ceia de Outubro

100_0554[9]

UM ENCONTRO COM DEUS NO VAU DE JABOQUE

A experiência de Jacó no Vau de Jaboque é um dos mais extraordinários relatos de quem se encontra com Deus e sofre de maneira permanente uma transformação radical. A história é de fuga, mas se transforma em encontro. É Deus quem vai ao encontro do Jacó que tem uma história de fugas, para neste encontro ser o Deus que Jacó precisa vê.

Um fato comum a todo ser humano é que ele é um ser em fuga. Sempre estamos fugindo de alguma coisa:

clip_image001 Fatos da vida;

clip_image001[1] Realidades;

clip_image001[2] Verdades;

clip_image001[3] Nós mesmos;

clip_image001[4] Deus

Geralmente o ser humano pensa em encontro com Deus, quando pensa que vai morrer, quando sente a presença da morte, por alguma razão, ou quando a situação foge do controle de nossas mãos.

É diante da morte que temos a coragem de rever nossos conceitos, avaliar nossas motivações e pesar a vida. A morte é tão forte que o autor de Provérbios quando quer citar a força do amor se inspira na força da morte, ao escrever que “…o amor é tão forte como a morte…” (Ct 8:6).

Sua experiência foi tão transformadora que Jacó muda o nome daquele lugar de JABOQUE para PENIEL, “tenho visto a Deus face a face e a minha alma foi salva”.

Ele já não fala mais de acordo para bênçãos materiais. Só agora Jacó compreende seu sonho: O céu aberto significa acesso irrestrito a Deus, o Pai. Um novo caminho lhe é aberto. Sentar-se nos lugares celestiais é uma benção maior do que as riquezas materiais. Significa que Deus tem algo mais excelente para nós. Podemos ter uma alegria ilimitada, ouvir a voz do Senhor em meio as mais variadas e terríveis circunstâncias e abraçar os valores celestiais que nos conduzem a uma de vitória plena.

“E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração.” Jeremias 29:13

GUARDE NO SEU CORAÇÃO:

NO VAU DE JABOQUE É VOCÊ E DEUS… DEUS PRECISA MUDAR PRIMEIRO A NOSSA VIDA PARA DEPOIS MUDAR A NOSSA FAMÍLIA.

Parte da Ministração do Pr Leandro

Em memória de mim…

100_03868

O que é a igreja?

Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também. 1 Coríntios 12:12

E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. Atos 2:44

A igreja de Cristo não conseguirá ser Sal da Terra e Luz para o mundo sem unidade.

O grande líder hindu da Índia, Ghandi, disse uma vez: “Eu teria me tornado cristão, se não tivesse observado a vida dos cristãos.”

Frequentemente nós cristãos vivemos menos do que pregamos.

1. Quais são os grandes obstáculos na unidade do corpo de Cristo?

  • Não saber a diferença Unidade x Uniformidade
  • Deixar o cansaço tomar conta das pessoas
  • Utilizar uma poderosa arma erroneamente – a Língua

2. Por que junto somos melhores?

  • Juntos, temos melhor comunhão!
  • Juntos, crescemos melhor!
  • Juntos, servimos melhor!
  • Juntos, adoraos melhor!
  • Juntos alcançamos outros!

Se você é daqueles que dão importancia e valor ao assunto biblico baseado no numero de vezes em que é mencionado nas Escrituras, eis um ponto a ser ponderado. A palavra ‘dizimos’ aparece 24 vezes, ‘ofertas’, 265 vezes, ‘jejum’ e ‘oração’ são mencionados 100 vezes cada. Obviamente estas são palavras e conceitos importantes. Porém, a palavra “Juntos” é mencionada 484 vezes e “reunidos”, 97 vezes.

Portanto, podemos dizer:

“JUNTOS SOMOS MELHORES!”

Parte da Ministração do Pr Leandro

Série de Mensagens – 12ª mensagem

OS PROFETAS DE ONTEM FALAM HOJE

Tema: MALAQUIAS – O PORTA-VOZ DO AMOR DE DEUS

Texto Base: Ml 1:2

 

 

INTRODUÇÃO

 

Um dos mais belos temas bíblicos é o amor de Deus. O profeta Malaquias, logo no início do seu livro, revela-nos esse amor de Deus para com Israel:

“Eu vos tenho amado, diz o Senhor”.

O amor do Pai é eterno e tem se revelado ao povo da antiga aliança e também a nós que temos sidos unidos a Ele pelo sangue da nova aliança de Cristo.

MOMENTO DE REFLEXÃO

 

Qual a maneira mais comum de desprezo e abandono desse maravilhoso amor? A prática do pecado e sua vivência são atitudes de desprezo. No tempo de Malaquias, Deus usou Seu mensageiro (o nome Malaquias significa “meu mensageiro”) para anunciar o Seu amor e também denunciar o desprezo que sofria dos hebreus pelas práticas vis no culto, na família, na maneira injusta do falar e na desonestidade com as finanças. Podemos dizer que o livro de Malaquias é o termometro do amor que temos por Deus.

Se hoje, a temperatura do seu amor por Deus fosse medida.

Qual seria o seu grau?

1. O AMOR DE DEUS É DECLARADO AO SEU POVO – (Ml 1:1-5)

Deus começa a Sua declaração no v.2: “Eu vos tenho amado”. Em todos os momentos históricos de Israel, Deus demonstrou Seu amor, mesmo disciplinando e corrigindo seus Filhos, pois afinal Ele corrige e disciplina a quem ama (Hb 12:6).

MOMENTO DE REFLEXÃO

 

Você já parou para pensar o quanto Deus o ama? Você já se interessou em buscar na Bíblia esse amor imenso que Ele tem por você?

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.” (João 3:16-17)

 

2. O AMOR DE DEUS É DESPREZADO PELO SEU POVO – (Ml 1:6;2:17)

O pecado é a prática mais vergonhosa de desprezo, pois ele afronta radicalmente o grande amor de Deus.

Em vários aspectos da vida nacional dos hebreus, o pecado tomou forma nas atitudes abomináveis do povo:

1. O pecado no culto (1:6-14) – O povo aparentemente estava invocando o Senhor, tratando-O de Pai, mas com prática desprezível, a começar pelos sacerdotes.

O povo expressava-se numa frase que tem sido a atitude de muitos cristãos: “qualquer coisa serve”, isto sendo aplicados a Deus e ao Seu culto, torna-se um terrível desprezo ao Seu Nome.

Deus exigia o melhor das suas ofertas, mas eles não consideravam a Sua palavra e ofereciam “pão imundo” e “animal cego”. Assim profanavam o altar e a mesa do Senhor.

MOMENTO DE REFLEXÃO

 

Quantas vezes temos cometido o mesmo pecado por acharmos que qualquer coisa que ofertarmos serve. Observe os nossos cultos, nossas contribuições, as mensagens de muitos pregadores, nossas orações, e nossa aparente consagração de vida. E os votos feitos e não foram cumpridos?

 

Qualquer coisa serve para Deus?

2. O pecado no sacerdócio (2:1-9) – Quando o pecado atinge a liderança, como o povo pode viver diferente? Em Israel, a experiência nesta área foi vivida no tempo dos juízes e reis: se o rei era temente e fazia o que era reto, toda nação seguia seu exemplo e era abençoada, mas se o rei e outros líderes eram maus todo o povo se corrompia.

a) Os sacerdotes não honravam o nome do Senhor (2:1-2)

b) Eles tinham um exemplo diferente no passado (2:5-6)

c) O juízo sobre o pecado dos sacerdotes (2:3,9)

d) Os sacerdotes desviados do caminho (2:8)

MOMENTO DE REFLEXÃO

 

“Ferirei o pastor, e as ovelhas ficarão dispersas – (Mt 26:31)”

Essa tem sido a meta de satanás quando faz cair a liderança da Igreja.

3. O pecado na família (2:10-16) – Outra área de ataques constante das forças do mal é a família. Deus, aqui no texto, mostra a Sua indignação aos pecados cometidos, por influência maligna ou humana, contra a célula máter da sociedade, revelando Seu repúdio aos seguintes pecados:

a) A deslealdade ou infidelidade (adultério) (2:10,11,14,15b,16b)

b) A farsa ou hipocrisia (2:13)

c) O casamento com incrédulos (2:11b)

d) O repúdio ou divórcio (2:16)

4. O pecado nas finanças (3:8) – Esse quadro é parecido com a vida de muitos cristãos que demonstram muito fervor no culto, mas são infiéis nos dízimos e nas ofertas: “dão um pouco do que não lhes faz falta”. Parecem fieis, mas não devolvem ao Senhor o que Lhe é devido. Pensamos que estamos enganando a Deus.

 

GUARDE NO CORAÇÃO:

 

Não adianta esconder, Deus sabe as intenções do seu coração. Você pode enganar o pastor, a liderança da igreja e até mesmo a membresia, mas Deus ninguém engana.

3. O AMOR DE DEUS NA PROMESSA AOS FIÉIS

Deus é justo e não vai punir os fiéis com os infiéis. Ele via os Seus filhos leais no tempo de Malaquias e fazia-lhes maravilhosas promessas como estas:

1. Um memorial

“Então aqueles que temeram ao SENHOR falaram freqüentemente um ao outro; e o SENHOR atentou e ouviu; e um memorial foi escrito diante dele, para os que temeram o SENHOR, e para os que se lembraram do seu nome.” (Malaquias 3:16)

2. Uma recompensa

“E eles serão meus, diz o SENHOR dos Exércitos; naquele dia serão para mim jóias; poupá-los-ei, como um homem poupa a seu filho, que o serve.” (Malaquias 3:17)

3. Um reconhecimento

“Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve.” (Malaquias 3:18)

“Porque Deus não é injusto para ficar esquecido do vosso trabalho e do amor que evidenciaste para com o seu nome, pois serviste e ainda servis aos santos” (Hb 6:10)

CONCLUSÃO

O livro de Malaquias é um desafio a todos nós nas várias áreas de nossa atuação cristã.

O pecado atinge o nosso relacionamento com Deus, a família, a igreja e a sociedade.

Se hoje, a temperatura do seu amor por Deus fosse medida. Qual seria o seu grau?

Série de Mensagens – 9ª mensagem

OS PROFETAS DE ONTEM FALAM HOJE

Tema: SOFONIAS – O PROFETA DA METAMORFOSE

Texto Base: Sf 2:3; 3:1

(Sofonias 2:3) – Buscai ao SENHOR, vós todos os mansos da terra, que tendes posto por obra o seu juízo; buscai a justiça, buscai a mansidão; pode ser que sejais escondidos no dia da ira do SENHOR.

(Sofonias 3:12) – Mas deixarei no meio de ti um povo humilde e pobre; e eles confiarão no nome do SENHOR.

1. QUEM FOI SOFONIAS

Sofonias, cujo nome significa “Aquele que o Senhor guarda”, era tataraneto do rei Ezequias. Ele profetizou durante o reinado de Josias (639-609 a.C.), o último governante piedoso de Judá. Como parente do rei Josias, tinha imediato acesso ao palácio real.

2. QUAL FOI A SUA MENSAGEM

Conforme era de se esperar, suas profecias focalizavam a palavra do Senhor endereçadas a Judá e às nações.

O objetivo de Sofonias foi advertir Judá e Jerusalém quanto ao juízo divino iminente e ameaçador. O juízo divino é aqui chamado de “o grande dia do Senhor” (1:14). Sofonias escreveu, também, para encorajar os fiéis com a mensagem de que Deus um dia haveria de restaurar o seu povo. Judá, então, cantaria Louvores ao Deus justo que habita no meio do seu povo.

Os pecados dos quais Sofonias acusava Jerusalém e Judá (1:4-13;3:1-7) indicam que ele profetizou antes do reavivamento e reformas promovidas por Josias. Período este marcado pela iniqüidade dos reis que antecederam a Josias (Manasses e Amom). Foi somente no décimo segundo ano do reinado de Josias (i.e., 627 a.C.) que o rei empreendeu a purificação do povo com o banimento da idolatria e a restauração do verdadeiro culto do Senhor. Oito anos mais tarde, ordenaria o conserto e a purificação do templo. Nesta ocasião, foi descoberta uma cópia da Lei do Senhor (cf. II Rs 22:1-10).

3. O QUE PODEMOS APRENDER COM O LIVRO DE SOFONIAS

As pessoas que descobrem que seu tempo é limitado muitas vezes fazem mudanças radicais no estilo de vida. Abrem mão do vício no trabalho e diminuem o ritmo de vida, passando mais tempo com os entes queridos, com Deus e sozinhas, refletindo. Abandonam o acúmulo e a busca (incansável) de bens materiais, e finalmente desfrutam tudo aquilo que já possuem. Descobrem os simples prazeres de sentar-se no sofá enrolado num cobertor, lendo um bom livro ou assistindo algo interessante e produtivo como filmes, documentários, noticiários, etc.

Para muitas pessoas isso é praticamente impossível, porque sempre estão numa vida desenfreada e sem limites. Não conseguem ficar na quietude com Deus.

Em sua carta os Romanos, Paulo descreve como podemos dar início a essa transformação: (Romanos 12:2) – “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”

Nesta passagem de Paulo, a palavra-chave – “transformados” – vem do termo grego metamorphous, do qual obtemos metamorphosis, que significa literalmente “ser transformados de dentro para fora”. O segredo para uma maturidade cheia de fé e ser mudado de dentro para fora, é passar por uma metamorfose na alma. Podemos comparar a palavra metamorphosis com uma borboleta. A lagarta forma uma crisálida e inicia o processo de transformar-se naquele lindo ser com asas. Ela não espera que algo ao redor mude; ela muda de dentro para fora, tornando-se exatamente aquilo para o que foi criada.

GUARDE NO CORAÇÃO:

A igreja de Cristo pode investir milhões de reais para promover um ambiente que supre as necessidades das pessoas. Se você não desejar essa transformação, todo esse investimento, não terá nenhum efeito na sua vida.

É muito comum esperarmos que alguém ou algo externo nos transforme. Culpamos o cônjuge por não satisfazer em termos emocionais, nossa igreja ou nosso pastor por não satisfazer espiritualmente, nosso trabalho por não satisfazer nossos propósitos.

MOMENTO DE REFLEXÃO

É hora de assumirmos a responsabilidade por nosso próprio crescimento. A questão não é o que está do lado de fora, mas o que está do lado de dentro.

Precisamos para a nossa alma, um momento de quietude, a antiga arte de permanecer tranqüilo. Por acaso a lagarta sobe na crisálida e se esforça para ser transformada numa borboleta? Não, a lagarta fica imóvel, e a transformação acontece.

O crescimento e a transformação espirituais só ocorrerão em sua vida quando você se aquietar e parar de se mexer. Paulo nos lembra: (Romanos 12:2) – “…mas sede transformados pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”

Você não consegue fixar a sua atenção e Deus enquanto está correndo. A Bíblia diz: (Salmos 46:10a) – “Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus”. Se nos aquietarmos diante de Deus, seremos transformados.

(Salmos 23:2-3) – “Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.”

O movimento e o alvoroço prejudicam a alma, mas a tranqüilidade a restaura.

MOMENTO DE REFLEXÃO

Quando foi a última vez em que você ficou parado, em tranqüilidade?

Quando foi a última vez em que desligou a televisão e permaneceu quieto por trinta minutos?

Quando foi a última vezem que tirou férias e não leu seus e-mails nem atendeu ao celular?

Em geral nosso objetivo na vida é nos sentirmos confortáveis. Contudo, quando nosso anseio por conforto afeta a busca de Deus, ficamos estagnados, aborrecidos e deprimidos. Tentamos isolar-nos da dor, do sofrimento, da dificuldade e do desconforto. Só que isso, rouba nossa felicidade verdadeira.

A inquietude de nossa alma continuará a crescer se insistirmos em evitar os problemas. Voltando ao ensino de Paulo em Romanos, recebemos a seguinte instrução: “Alegrem-se na esperança, sejam pacientes na tribulação, perseverem na oração” (Rm 12:12). Perceba que Paulo não diz “se a tribulação chegar”, mas pode-se entender que ele as considera algo certo. Todos nós com certeza encontraremos provações. Muito provavelmente você está enfrentando desafios neste exato momento.

GUARDE NO CORAÇÃO:

Ninguém está imune a tragédias nem livre de problemas. Mas lembrar que no centro de todo problema existe um propósito, uma revelação de Deus agindo em nossa vida. Nossa força cresce à medida que nos apoiamos no Senhor durantes as lutas.

ILUSTRAÇÃO:

Um garoto encontrou uma crisálida no galho de uma árvore. A princípio ele achou que ela se movia, mas então percebeu que uma borboleta lutava para romper o invólucro. Sentiu pena da borboleta e, assim, pegou o canivete para ajudá-la a sair. Abriu a crisálida, puxou a borboleta para fora e segurou-a na mão, esperando que ela voasse. Mas ela não se moveu e, depois de alguns minutos, estava morta.

Quando o desafio de sair da crisálida foi removido, foi negada à borboleta a oportunidade de fortalecer suas asas. Com asas fracas e molhadas, a borboleta era incapaz de sobreviver. Ela precisa da luta para ganhar força, do mesmo modo que precisamos das dificuldades para nos desenvolver. Não há como sermos transformados de dentro para fora sem os problemas.

Reconheça que não foi Deus quem causou o problema, mas que o permite com o objetivo de fortalecer nossas asas para que possamos ganhar forças e alcançar nosso pleno potencial.

CONCLUSÃO

Quando nos acalmamos e ficamos em silêncio, quando entendemos o sofrimento em nossa vida, abrimos portas para a verdadeira transformação espiritual. Aprendemos que não podemos resolver os problemas com as nossas próprias forças, alterando nossa aparência exterior e esperando que a vida mude. A metamorfose acontece apenas pela graça.

“… Errais não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus” (Mt 22:29).

O rei Josias quando recebeu o livro da lei que fora encontrado no templo, temeu a Deus, pois nele encontravam-se duras palavras de juízo contra aqueles que viviam na desobediência (II Rs 22:8-13).

GUARDE NO CORAÇÃO:

A palavra de Deus deve ser observada e guardada no coração.

(Salmos 119:11) – Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.

MOMENTO DE REFLEXÃO

Se você observar até aqui nesta séria mensagem, perceberá que sempre são os mesmos erros que o povo de Deus estava cometendo. Então, podemos concluir que o povo de Israel precisava de transformação de dentro para fora. Sem isso, o povo continuaria desagradando a Deus. Reflita sobre isso.

Série de Mensagens – 7ª ministração

OS PROFETAS DE ONTEM FALAM HOJE

Tema: NAUM – A INGRATIDÃO DO POVO NINIVITA

Texto Base: Naum 1.13-15

“Mas, agora, quebrarei o seu jugo de cima de ti e romperei os teus laços. Contra ti, porém, o Senhor deu ordem, que mais ninguém do teu nome seja semeado; da casa do teu deus exterminarei as imagens de escultura e de fundição; ali farei o teu sepulcro, porque és vil. Eis sobre os montes os pés do que traz boas-novas, do que anuncia a paz! Celebra as tuas festas, ó Judá, cumpre os teus votos, porque o ímpio não tornará mais a passar por ti; ele é inteiramente exterminado.”

INTRODUÇÃO

O principal objetivo de Naum foi consolar Judá com referência ao seu feroz inimigo, a Assíria. No seu recado profético, Naum revelou o detalhado plano divino para destruir e devastar Nínive completa¬mente. Essa mensagem foi entregue ao povo de judá a fim de lembrá-lo da soberania do Senhor sobre todas as nações, e que ele não tolera por muito tempo aqueles que governam com pilhagem e violência, desrespeitando suas admoestações de justiça.

1. QUEM FOI NAUM

Nada se sabe a respeito de Naum, a não ser que era proveniente de Elcós (1.1), cuja localização é incerta. Estudiosos acreditavam que esta cidade ficava perto de Ramá, na Galiléia. Sugere-se ainda a vizinhança de Cafarnaum, e também o sul da Judéia. O mais provável é que Naum fosse profeta de Judá, pois o Reino do Norte (Israel) já fora dissolvido quando este livro foi escrito.

Naum quer dizer “consolação”. Como o nome sugere, o Livro de Naum é o único entre os profetas que não profere julgamento contra Israel, apenas consolação. Ele prediz o fim do seu grande inimigo do oriente.

2. QUAL FOI A SUA MENSAGEM

Nínive foi uma das cidades mais antigas do mundo, fundada por Ninrode (Gênesis 10:11). Foi capital da Assíria depois de Asur, embora a capital mudasse às vezes para outras localidades peno de Nínive. A Assíria teve esse nome em homenagem ao seu principal deus, Asur, divindade da guerra

Naum profetiza a queda de Nínive, capital da grande Assíria. O mundo tinha conhecimento sobre a tirania cruel desse povo.

3. O QUE PODEMOS APRENDER COM O LIVRO DE NAUM

A história de Jesus registrada em Lucas 17:11-13 é um exemplo de como pessoas que receberam uma segunda chance às vezes se esquecem de agradecer à fonte de todo bem.

A caminho de Jerusalém, Jesus passou pela divisa entre Samaria e Galiléia. Ao entrar num povoado, dez leprosos dirigiam-se a ele. Ficaram a certa distância e gritaram em alta voz: “Jesus, Mestre, tem piedade de nós!”

Esses dez homens tinham algo em comum: sua condição era desesperadora.
A lepra era a doença mais temida dos dias de Jesus. Começava com manchas na pele que se transformavam em tumores; estes aumentavam, a ponto de a pessoa ficar desfigurada e não ser mais reconhecida. Depois os dedos das mãos e do pés literalmente caíam. Por fim, a pessoa entrava em coma e morria. Era uma maneira terrivelmente dolorosa de morrer.

Nos dias de Jesus, o primeiro sinal de lepra já uma sentença de morte. Uma vez identificada a doença, o leproso era forçado a sair de casa, deixar a família e os amigos, e era expulso da cidade, do convívio da sociedade. Uma lei muito rígida estabelecia que pessoas com lepra não podiam ficar a menos de 50 metros de uma pessoa sadia. Se o fizessem, seriam apedrejadas até a morte.

MOMENTO DE REFLEXÃO

Você consegue imaginar o que é nunca ser tocado de novo, nunca sentir o abraço de uma criança, nunca sentir os braços de seu pai ou de sua mãe sobre seus ombros, nunca sentir o abraço e o beijo de seu cônjuge?

Era assim que aqueles homens viviam há anos. Alguns deles provavelmente tinham lepra desde criança, porque a doença levava muito tempo para progredir. Eles já tinham perdido as esperanças depois de todas as tentativas fracassadas. Mas, algo maravilhoso aconteceu. Eles se encontraram com o carpinteiro de Nazaré, aquele que dizia ser o Messias. “Ao vê-los, ele disse: ‘Vão mostrar-se aos sacerdotes’. Enquanto eles iam, foram purificados” (Lc 17:14)

Era muito raro alguém ser curado de lepra, mas parece que já havia acontecido antes. Existia uma lei que exigia que um leproso, ao ser curado, fosse visitar o sacerdote. O sacerdote determinava se o leproso estava limpo ou não e ser teria permissão de voltar para a família, os amigos e a comunidade.

Talvez a parte mais significativa dessa história tenha ocorrido logo depois. Um deles, quando viu que estava curado, voltou, louvando a Deus em alta voz. Prostrou-se aos pés de Jesus e lhe agradeceu. Este era samaritano. Jesus perguntou: “Não foram purificados todos os dez? Onde estão os outros nove? Não se achou nenhum que voltasse e desse louvor a Deus, a não ser estrangeiro?” (Lucas 17:15-18)

Aquele homem finalmente recebeu o que eu e você consideramos normal. Ele tinha uma nova vida e saúde. Ele viveria para ver o amanhã, mas percebeu que aquilo era um precioso presente que Deus lhe dera e, assim, voltou para agradecer a Jesus. A dura realidade sobre toda essa história é que ele foi o único. Dez homens receberam o presente, mas apenas um abriu o pacote.

A gratidão transforma a nossa forma de viver. Por outro lado, a ingratidão faz o nosso coração encolher e esfriar. A ingratidão gera um coração cheio de insatisfação, queixa, reclamação e negatividade.

CONCLUSÃO

O povo ninivita esqueceu tudo que aconteceu nos tempos de Jonas. O coração do povo estava longe de Deus e dos seus propósitos. E tudo o que eles semearam colheram: a justiça de Deus foi estabelecida em Nínive e Naum foi profeta escolhido por Deus para anunciar a profecia.

REFLITA

O que você tem semeado na sua vida? Gratidão ou Ingratidão?

“Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gl 6:7)

Nunca esqueça: Deus é amor e justiça também.

Série de Mensagens – 6ª ministração

OS PROFETAS DE ONTEM FALAM HOJE
Tema: MIQUÉIAS: JUSTIÇA E ESPERANÇA

Texto Base: Mq 7:18-19

“Quem é Deus semelhante a ti, que perdoa a iniqüidade, e que passa por cima da rebelião do restante da sua herança? Ele não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na sua benignidade. Tornará a apiedar-se de nós; sujeitará as nossas iniqüidades, e tu lançarás todos os seus pecados nas profundezas do mar.”

INTRODUÇÃO
———————————————————————————-
Miquéias foi contemporâneo de Isaías e profetizou durante os reinados de Jotão (740-732 a.C.), Acaz (732-716 a.C.), e Ezequias (716-687 a.C.). Jotão e Ezequias foram bom rein, mas Acaz foi mau.

Miquéias estava convencido que Judá estava caminhando para um desastre por causa dos pecados nacionais:

* Idolatria (Mq 1:7, 6:16)
* Cobiça e opressão (Mq 2:2)
* Violência (Mq 3:10, 6:12, 7:2
* Apoio aos falsos profetas (Mq 2:6,11)
* Corrupção dos governantes (Mq 3:1-3)
* Corrupção dos profetas (Mq 3:5-7)
* Suborno (Mq 3:9,11; 7:3)
* Desonestidade (Mq 6:10,11)

As acusações dele têm muita semelhança com as de Amós. Mas o estilo de Miquéias é mais feroz e direto. (Mq 3:9-12)

MOMENTO REFLEXÃO: Você já parou para pensar que o tempo passa, mas os pecados são os mesmos?

1. QUEM FOI MIQUÉIAS?
———————————————————————————-

(Miquéias 3:8) – Mas eu estou cheio do poder do Espírito do SENHOR, e de juízo e de força, para anunciar a Jacó a sua transgressão e a Israel o seu pecado.

Seu nome significa “quem é como o Senhor?”. Nasceu em Moresete-Gate (Mq 1;14), um vilarejo que ficava cerca de 40 Km de Jerusalém, no sopé das montanhas de Judá.

Tudo indica que Miquéias era homem do campo, talvez lavrador. Sua mensagem de juízo é dirigida às vilas e cidade de sua região (Mq 1:10-16).

Sua vida mostrava que é “como o Senhor”, e ele chamou o povo de Judá para esse mesmo estilo de vida de imitação divina.

2. A MENSAGEM DE MIQUÉIAS
———————————————————————————-
O livro de Miquéias dividi-se em três partes, cada um começando com “ouvi” (Mq 1:2; 3:1; 6:1). E cada parte termina com uma promessa:

* Promessa de ajuntamento (Mq 2:12-13)
* Promessa de livramento (Mq 5:10-15)
* Promessa de perdão e misericórdia (Mq 7:18-20)

Sua forma de viver desafiou falsos profetas, líderes políticos corruptos e os desobedientes habitantes de Judá a viverem sua fé de forma autêntica.

MOMENTO REFLEXÃO: A sua fé, a sua forma de viver tem desafiado outras pessoas?

3. O QUE PODEMOS APRENDER COM MIQUÉIAS
———————————————————————————-
Há dois destaques dentro do Livro de Miquéias que precisamos meditar.

(Miquéias 6:8) – Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o SENHOR pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benignidade, e andes humildemente com o teu Deus?

Certamente este é um dos versículos mais conhecidos desta profecia. Ele está em contraste com a falsa religiosidade. Observe os verbos praticar, amar e andar – que demonstram a natureza “pedido” de Deus. E a justiça, a misericórdia e a humildade era exatamente o que estava faltando na vida do povo da época de Miquéias.

MOMENTO REFLEXÃO: O que está faltando na sua vida? Justiça, Benignidade, Humildade?

(Miquéias 7:18-19) – Quem é Deus semelhante a ti, que perdoa a iniqüidade, e que passa por cima da rebelião do restante da sua herança? Ele não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na sua benignidade. Tornará a apiedar-se de nós; sujeitará as nossas iniqüidades, e tu lançarás todos os seus pecados nas profundezas do mar.

É maravilhosa a forma que o profeta encerra sua profecia: exaltando o grande amor de Deus.

MOMENTO REFLEXÃO: Quanto tempo estamos vivendo o perdão e a misericórdia de Deus?
Quantas coisas da nossa vida e do nosso passado precisavam ser lançadas nas “profundezas do mar”!! E Deuz fez isso. O apóstolo Paulo expressou exatamente isso quando escreveu: “Deus estava em Cristo, não imputando aos homens as suas transgressões…” (II Co 5:19). O verbo “imputar” significa “debitar na conta”, “atribuir a responsabilidade”. Quando Cristo morreu na cruz, Deus cancelou nossas dividas, e as lançou nas profundezas do mar. Adeus pecados!!
(Isaías 53:5-6) – Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos.

CONCLUSÃO
———————————————————————————-

(Isaías 43:25) – Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro.

(Isaías 44:22) – Apaguei as tuas transgressões como a névoa, e os teus pecados como a nuvem; torna-te para mim, porque eu te remi.

MOMENTO REFLEXÃO: Porque você ainda carrega a culpa dos pecados que já foram perdoados por Deus? Deus já perdoou a sua vida. Perdoamos tantas pessoas, porém, não conseguimos perdoar a nós mesmos.

GUARDE NO SEU CORAÇÃO:

(Isaías 43:25) – Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro.

Série de Mensagens – 5ª ministração

OS PROFETAS DE ONTEM FALAM HOJE

Tema: JONAS – O RELUTANTE PROFETA DE DEUS

Texto Base: Jn 2:2

E disse: Na minha angústia clamei ao SENHOR, e ele me respondeu; do ventre do abismo gritei, e tu ouviste a minha voz.

INTRODUÇÃO
Deveríamos ser gratos porque Deus incluiu Jonas no cânon das Escrituras. Se alguma vez Deus mostrou um retrato de nossa natureza humana, nossa inclinação para fugir da responsabilidade em favor da auto-satisfação, ele o fez por meio de Jonas. Agora, se estamos pensando que Jonas estava sozinho nesta história, estamos enganados. Deus chamou muitos homens relutantes:

Moisés que demonstrou total relutância enquanto esteve diante da sarça ardente, tentando esquivar-se da responsabilidade.

Gideão, a quem Deus chamou para liderar um ataque contra os midianitas. Discutiu com um anjo, explicando por que não poderia fazê-lo.

Rei Saul, que dos ombros para cima era mais alto do que qualquer outra pessoa. Mas escondeu-se entre a bagagem quando foi ungi-lo a rei de Israel.

Jeremias, a quem Deus chamou para ser um profeta para as nações. Esse jovem debateu com Deus baseado em sua pouca idade, com se Deus tivesse se esquecido de atentar para esse detalhe.

MOMENTO REFLEXÃO: Você já parou para pensar que sempre estamos diante de Deus justificando a nossa relutância. Sempre estamos fugindo da responsabilidade que Deus nos concedeu?

1. QUEM FOI JONAS?
———————————————————————————-
Jonas era um profeta da cidade de Gafe-Hefer, na Galiléia, que vivia na época em que o reino de Israel estava dividido: um rei em Jerusalém (ao Sul) e outro em Samaria (ao Norte), onde Jonas profetizava, no tempo do rei Jeroboão II (II Rs 14:23-29). Nessa época, o império assírio estava se fortalecendo e logo seria um poder mundial. Nínive era a sua capital.

Jonas é o único profeta do A.T. com o qual Jesus se comparou diretamente (Mt 12:38-41; Lc 11:29-32). Tanto Jesus como Jonas eram profetas da Galiléia. Os fariseus se esqueceram de Jonas quando atacaram Nicodemos, dizendo-lhe que “da Galiléia não se levanta profeta” (Jo 7:52). Se tivessem pesquisado as Escrituras com mais cuidado, não teriam errado tanto!

O livro de Jonas é diferente de todos os outros profetas menores, porque é biográfico e não tanto um livro de profecia. O que vemos nessa história é um Deus Todo-Poderoso, mas cheio de misericórdia, operando na vida de Jonas, e através de Jonas na vida do povo incrédulo de Nínive.

2. PORQUE JONAS FUGIU?
———————————————————————————-
Jonas recebeu uma ordem: “Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive” (Jn 1:2)

E uma mensagem: “clama contra ela porque a sua malícia subiu até mim” (Jn 1:2)

Em vez de Jonas ir para Nínive e anunciar a vontade de Deus, ele resolve fugir para Társis. Jonas se dispôs, mas para fugir da presença do Senhor, para Társis”. (Jn 1:3)

MOTIVOS DA FUGA
———————————————————————————-

Cidade muito grande
cerca de 2 milhões de habitantes (porque havia 120 mil crianças pequenas), com aproximadamente 50 a 100 Km de diâmetro.

Cidade muito pecaminosa e perigosaimoralidade, desonestidade, violência, libertinagem, ações cruéis contra outras nações (inclusive Israel). “Ai da cidade sanguinária, toda cheia de mentiras e de roubo e que não solta a sua presa! … massa de cadáveres, mortos sem fim … da grande prostituição da bela e encantadora meretriz, da mestre de feitiçarias …” (Na 3:1,3 e 4).

Perplexidade com a tarefa – Jonas estava pronto a pregar para sua própria nação, mas pregar para um poder estrangeiro era mais difícil de aceitar. Podemos imaginar a sua perplexidade. Para o judeu, o gentio era desprezível – não havia esperança de salvação. A possibilidade de salvação para as nações pagãs era uma sentença de maldição (anátema) para os judeus. Mas Deus estava ensinando uma grande lição, que era um cumprimento da promessa a Abraão – “Em ti serão benditas TODAS AS FAMÍLIAS da terra” (Gn 12:3)

 

GUARDE NO SEU CORAÇÃO:

A minha desobediência pode afetar a vida de outras pessoas. Que desafio para nós! (Romanos 14:7) – Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si.

3. O QUE PODEMOS APRENDER COM O RELUTANTE PROFETA DE DEUS —————————————————————————

I – PRECISAMOS MUDAR A NOSSA ORAÇÃO COM DEUS.
Sempre estamos falando para Deus: “Preciso tanto ouvir a tua voz. Fala comigo, Senhor”.

Em vez de falarmos: “Senhor, fala comigo”, precisamos mudar e dizer: “Senhor me ajuda a obedecer”.

Se você prestar a atenção, Deus tem falado conosco diariamente. Infelizmente, ignoramos a voz de Deus.

É interessante observar que cada personagem da história, a tempestade, os marinheiros, o peixe, o rei, os ninivitas, a planta, o verme e o vento oriental, todos obedeceram a Deus… exceto Jonas, o profeta que Deus escolheu.

Detalhe: Jonas ouvia voz de Deus, entendia a mensagem e a vontade dEle, mas, não obedecia.

(Jonas 1:1-2) – E VEIO a palavra do SENHOR a Jonas, filho de Amitai, dizendo: Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive, e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até à minha presença.

II – PRECISAMOS RECONHECER QUE JESUS É SENHOR DAS NOSSAS VIDAS
Muitos têm Jesus como SALVADOR, porém, poucos são aqueles que declaram SENHOR das suas vidas.

“… ao único Deus, nosso Salvador, mediante Jesus Cristo, Senhor nosso, glória, majestade, império e soberania, antes de todas as eras e agora, e por todos os séculos. Amém!” (Jd 1:25)

Precisamos reconhecer que Jesus é Senhor do nosso tempo, nosso talento e do nosso tesouro (nossos bens).

III – PRECISAMOS CRESCER ESPIRITUALMENTE
Muitas igrejas têm investido no crescimento espiritual da sua membresia, através de cursos, seminários, escolas bíblicas e nós fazemos partes desta estatística.

(Efésios 4:14) – Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.
(Hebreus 5:12) – Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento.

Os cristãos hebreus não tinham progredido (Hb 5:11-14)

CONCLUSÃO
———————————————————————————-

(Jonas 2:2) – E disse: Na minha angústia clamei ao SENHOR, e ele me respondeu; do ventre do abismo gritei, e tu ouviste a minha voz.

Jonas errou, reconheceu seu erro e se arrependeu e Deus concedeu uma segunda chance. A graça de Deus não somente perdoou, mas colocou de novo na sua função de profeta.

(Jonas 3:1-2) – E VEIO a palavra do SENHOR segunda vez a Jonas, dizendo: Levanta-te, e vai à grande cidade de Nínive, e prega contra ela a mensagem que eu te digo.

Jonas obedeceu e um grande milagre aconteceu: os ninivitas creram em Deus. E perante a conversão sincera dos ninivitas, Deus retirou Sua ira correta e justa, alcançando-os com Sua misericórdia.

MOMENTO REFLEXÃO:

Onde você neste momento?

– No centro da vontade de Deus?
– Ou fugindo para o abismo e tristeza?

Deus precisa de pessoas atuantes que levam a sério as ordens dEle e as cumpram com dedicação e fidelidade.

Série de Mensagens – 3ª ministração

“OS PROFETAS DE ONTEM FALAM HOJE”
Tema: AMÓS – O BOIADEIRO PROFETA

Texto Base: Amós 7:14-15

(Amós 7:14-15) – E respondeu Amós, dizendo a Amazias: Eu não sou profeta, nem filho de profeta, mas boiadeiro, e cultivador de sicômoros. Mas o SENHOR me tirou de seguir o rebanho, e o SENHOR me disse: Vai, e profetiza ao meu povo Israel.

INTRODUÇÃO

Fazia cerca de 200 anos que as dez tribos haviam se separado do Reino de Davi e estabelecido o reino independente do Norte. Durante parte desse tempo o culto a baal fora adotado, e muitas práticas abomináveis da idolatria ainda predominavam. Deus enviara Elias, depois Eliseu, mas sem nenhum efeito sobre o povo que, estava endurecido pela idolatria e perversidade. E isso, estava levando o povo a ruína.

Para entendermos melhor a missão do profeta Amós, precisamos conhecer o povo que ele contemplava e os aspectos marcantes.

1. COMO ERA NA ÉPOCA DE AMÓS
—————————————————————————————-
1. Sociedade – A prosperidade estava presente na sociedade; mas as injustiças, também. Os ricos tinham suas casas de luxo (Am 3:15); os móveis e a comida eram sofisticados (Am 6:4); as mulheres esbanjavam roupas finíssimas, perfumes caríssimos, bolsas de fina confecção e muito dinheiro (Am 4:1). Todavia, o pobre estava sendo “condenado por causa de um par de sandálias” (Am 2:6b). Suborno, imoralidade, injustiça e violência são algumas marcas da sociedade na qual Amós trabalhava.

2. Religião – Era prática constante, o povo esta freqüentando os cultos (Am 5:5); praticando sacrifícios e dízimos (Am 4:4); os cânticos eram entoados com muito entusiasmo (Am 5:23). Mas os atos eram exteriores, só lábios e não coração (Mt 15:7-8). Tudo estava sendo feito sem análise de consciência, sem contrição, sem arrependimento. (Salmos 51:17) Inutilmente, os homens procuravam agradar a Deus com promessas, ofertas e sacrifícios, porém, tudo isso estava sendo rejeitado por Deus, devido à falta de santidade do povo (Am 5:21-23).

3. Política – Uzias (791 – 740 a.C.) ocupava o trono de Judá e Jeroboão II (798 – 753 a.C.) era o rei de Israel, nos tempos em que Amós profetizava. Foi uma época de grande prosperidade e conquistas territoriais. Havia dinheiro em abundância e os exércitos eram vitoriosos. Entretanto, a riqueza que entrava em Samaria não era igualmente distribuída entre o povo. Permanecia nas mãos de príncipes negociantes, e estes gastavam em prol da melhoria de seus padrões de vida.

2. QUEM FOI AMÓS
———————————————————————————————
Amós era natural da cidadezinha de Tecoa, que ficava 15 km ao sul de Jerusalém, uma das regiões mais desagradáveis do país para se viver. Amós trabalhava com animais. Ele não era rico e para completar o teu sustento, colhia sicômoros (um tipo de figo).

E ele mesmo disse a Amazias: Eu não sou profeta, nem filho de profeta, mas boiadeiro, e cultivador de sicômoros. Mas o SENHOR me tirou de seguir o rebanho, e o SENHOR me disse: Vai, e profetiza ao meu povo Israel. (Amós 7:14-15).

Isso quer dizer que até ser chamado pelo Senhor, Amós não tinha “berço” que o houvesse preparado para ser profeta. Nos dias Elias e Eliseu, havia uma escola de profetas, que treinava homens para o ofício profético (II Rs 2:3-18); mas também havia profetas profissionais e jovens discípulos deles que vendiam seus serviços, dizendo apenas o que os governantes desejavam ouvir (I Rs 22:5-28). Amós não era “profeta profissional” ou “mercenário” como tantos outros, cuja sobrevivência dependia de seu ministério, embora “aquele que prega o evangelho que vida do evangelho” (I Co 9:14).

Resumindo: Amós quer simplesmente afirmar é que tudo o que está dizendo e fazendo é por ordem específica do Senhor: “Ele me tirou de seguir o rebanho” (Am 7:15). Amós era um profeta autêntico.

3. O QUE PODEMOS APRENDER COM O BOIADEIRO PROFETA
———————————————————————————————
1. É achar que para conhecermos melhor temos que nos misturar com certas pessoas, tocar em determinadas coisas, ou irmos a alguns lugares – Jesus comia com publicanos e pecadores (Lc 15:1-2), mas Ele apenas influenciava e nunca era influenciado. Essa era a diferença. Nos lugares que freqüentamos, as pessoas que conversamos e as coisas que fazemos. Influenciamos ou somos influenciados?

2. É modificar o evangelho no momento de aplicá-lo ao nosso contexto – Devemos tomar cuidado para não “baratearmos” os custos do Reino de Deus, nem “socializarmos” o Evangelho. Há muitas promessas que saíram da boca do Senhor que só terão cumprimento no novo céu e na nova terra (Ap 21:1-7). Muitos estão adaptando somente parte da Bíblia na sua vida e não mudando a sua vida de acordo com a Palavra de Deus.

3. Quando não conseguimos influenciar outras pessoas pela nossa vida com Deus, a única saída é encontrar um recinto de oração – O profeta havia alertado o povo quanto ao julgamento, mas como as pessoas não aceitavam a vontade de Deus, a única coisa a fazer era implorar a Deus o perdão. Amós orou por seu povo com compaixão e sinceridade. Ele aprendeu a lidar com os problemas impossíveis. (Am 7:1-6)
Às vezes, não fazemos idéia do tipo de mudanças que podemos operar ou das dores que podemos evitar que outros sofram por meio do que fazemos em nosso recinto de oração. Se conhecemos ao Senhor, é porque alguém orou para que encontremos o caminho da Salvação.

CONCLUSÃO
———————————————————————————————
(Mateus 5:1-11) – E JESUS, vendo a multidão, subiu a um monte, e, assentando-se, aproximaram-se dele os seus discípulos; E, abrindo a sua boca, os ensinava, dizendo:

Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus; Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados; Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra; Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos; Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia; Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus; Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus; Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.

Amós foi um profeta que influenciou a sua época e não foi influenciado. Ele continuou nos propósito de Deus e não alterou a mensagem que lhe foi confiado.

Então, podemos extrair as seguintes experiências do profeta Amós:

1. É mais fácil para as pessoas se desviarem dos propósitos de Deus quando há estabilidade econômica;
2. Deus nos concede recursos para ajudar outras pessoas, não a si mesmo;
3.
A base para as pessoas é a verdade, a integridade e a justiça.

Série de Mensagens – 2ª ministração

“OS PROFETAS DE ONTEM FALAM HOJE”
Tema: JOEL – O DIA DO SENHOR VEM

Texto Base: Joel 2:13,13

 

(Joel 2:12,13) – Ainda assim, agora mesmo diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR vosso Deus; porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal.

 

INTRODUÇÃO

Vivemos num tempo onde crises, violência, guerra, fome, perversidade, promiscuidade tem se manifestado na atual sociedade. Pessoas correm de um lado para o outro tentando arrumarem suas vidas, tentando buscar soluções para os problemas cotidianos que uma sociedade enfrenta. Acabam querendo achar tempo, para um descanso, para momentos com sua família ou com os amigos. Buscam soluções até onde não se pode achar, e que quando acham que conseguiram algo, terminam se afundando cada vez mais. Percebe-se que há uma correria, um corre-corre incansável.

Entretanto, essas pessoas acabam se esquecendo daquele que é o Senhor de todas as coisas e que pode trazer soluções para as nossas vidas!

O livro de Joel também fala de uma crise, fome, seca, tristeza e dor. A Bíblia diz: “O campo está assolado, e a terra triste; porque o trigo está destruído, o mosto se secou, o azeite acabou. “Envergonhai-vos, lavradores, gemei, vinhateiros, sobre o trigo e a cevada; porque a colheita do campo pereceu. A vide se secou, a figueira se murchou, a romeira também, e a palmeira e a macieira; todas as árvores do campo se secaram, e já não há alegria entre os filhos dos homens.” (Joel 1:10-12).

1. ANALISE A SOCIEDADE NOS DIAS ATUAIS
———————————————————————————-
Analise a sociedade nos dias atuais e compare com o contexto do livro de Joel. Você perceberá que não é diferente. A sociedade tem se preocupado demais com seus afazeres e ocupações, e se esquecem de Deus. Tudo o que tem acontecido é conseqüência do pecado, do afastamento do homem do Seu Criador.

No capítulo 1, versículos 13 e 14, há uma convocação aos sacerdotes, aqueles que ministram no altar, a todos os moradores da terra, para se santificarem, fazerem jejum, chorarem e gemerem perante o altar do Senhor. (Joel 1:13,14)

Acredito que não é um simples choro ou um gemido qualquer como quando alguém se fere. É um gemido da alma, do mais profundo do coração. É tempo de rasgarmos os nossos corações e nos convertermos ao Senhor com choro e pranto. Pedir perdão pelos nossos pecados, pelos pecados da nação.

Mas, no livro de Joel há uma convocação a todos os moradores da terra. E isso, inclui você. Se isto ainda não o convencer, Deus também convoca os sacerdotes. A palavra do Senhor diz que fomos comprados pelo Sangue do Senhor Jesus, o qual nos fez geração eleita, sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido. (Mateus 26:28; I Pedro 2:9)

2. AS PROMESSAS DE DEUS PARA SEU POVO
———————————————————————————-

(Joel 2:19) – “E o SENHOR, respondendo, disse ao seu povo: Eis que vos envio o trigo, e o mosto, e o azeite, e deles sereis fartos, e vos não entregarei mais ao opróbrio entre os gentios.”

No capítulo 2 a partir do versículo 19 há promessas de abundância se o povo se converter ao Senhor, rasgar os corações, “sentir a tristeza segundo o coração de Deus, por haver pecado”.

O Senhor enviará o trigo, o azeite, o mosto (sumo de uvas frescas que não tenham passado pelo processo de fermentação; vinho novo, retirado do lagar). Os celeiros, armazéns se encherão e transbordarão. Alegrará o coração dos homens e todos os moradores da terra. Restituirá tudo o que se perdeu. O povo não será mais envergonhado, haverá alegria constante, pois o Senhor fez grandes coisas!

Acontecerá depois destas coisas que o Senhor derramará do Seu Espírito sobre toda carne, sinais aconteceriam como nos mostra Joel 2.28 a 32 “E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito. E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR. E há de ser que todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo; porque no monte Sião e em Jerusalém haverá livramento, assim como disse o SENHOR, e entre os sobreviventes, aqueles que o SENHOR chamar.”

Você sabe o que é isto? Avivamento! O verdadeiro e genuíno avivamento! Mas o que é Avivamento?

Ora, avivamento do ponto de visto bíblico é o resgate de uma vida piedosa onde oração, jejum e o estudo da palavra se fazem presentes. O famoso pregador Charlles Spurgeon costumava dizer:

“Necessitamos urgentemente de um avivamento da devoção pessoal. Este é, sem dúvida, o segredo do progresso da igreja. Se os crentes perdem a sua firmeza, a igreja é arremessada de um lado para o outro. Quando eles permanecem firmes na fé, a igreja continua fiel ao seu Senhor. O futuro da igreja, nas mãos de Deus, depende de pessoas que na realidade são espirituais e piedosas. Oh! que o Senhor levante mais homens genuinamente piedosos, vivificados pelo Espírito Santo, consagrados ao Senhor e santificados pela verdade! Irmãos, cada um de nós precisa viver, para que a igreja continue viva. Temos de viver para Deus, se desejamos ver a vontade do Senhor prosperar em nossas mãos. Homens consagrados tornam-se o sal da sociedade e os salvadores da raça humana.”

A igreja tem clamado por avivamento nesses últimos dias! Deus deseja mudar a sociedade atual. Ele quer nos restituir tudo o que perdemos. Sarar nossas feridas e nos apresentar como noiva pura e imaculada para o Noivo.

O Senhor quer mudar a sociedade e derramar Seu Espírito sobre ela. Mas Deus é Santo! E é necessário que nos tornemos santos para que isto aconteça. É uma condição. Observe que, no livro diz: Depois que o povo se voltar para Deus, confessar os seus pecados, se santificar é que ele fará prodígios e maravilhas e derramará do Seu Espírito. É um chamado para todos, inclusive para a igreja. Essas coisas só começarão a acontecer quando a igreja tirar os olhos dos homens e colocar os olhos em Deus.

Você quer ver Deus agindo hoje? Clame a Ele! Apresente-se perante o Seu altar! Chore por haver pecado! Clame pelo seu povo! Deixe Deus começar através da sua vida! Deixe o Espírito Santo começar um avivamento dentro de você, e esse avivamento se alastrar por toda a terra! Assim Deus fará as maravilhas acontecerem!

É tempo de nos despertarmos do sono espiritual! É tempo de deixarmos de ser ociosos. É tempo de nos arrependermos! Deus precisa despertar em nós, o desejo do jejum, da oração e da meditação da palavra de Deus. Quem está na posição não precisa temer a vinda o Senhor. Agora, quem tem medo, então, precisa ter um conserto com Deus. Faça isso, hoje!

CONCLUSÃO
———————————————————————————-
“Finalmente, a mensagem de Joel renova a confiança de todo aqueles que espera pelo estabelecimento do reino divino, onde Sua vontade soberana e absoluta será executada na Terra, como é feita no Céu” (Dr. Russell Shedd)

A visão de Joel contempla o surgimento de um povo (igreja), chamado para apregoar e preparar o estabelecimento definitivo do Reino de Deus, cuja membresia, haveria de ser composta de

“…todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo…” (Joel 2:32)

MOMENTO REFLEXÃO:

  • Estamos preparados para o “Dia do Senhor?”
  • Estamos preparados para suportar a oposição e perseguição prevista para os últimos dias?
  • Estamos preparados para encontrar-se com Ele perante o Seu tribunal?

Quando analisamos o texto do profeta Joel, podemos extrair o seguinte objetivo deste livro:
Mostrar através dos avisos do passado a necessidade de acertar a sua vida com Deus no presente, vivendo um cristianismo autêntico, de modo a estar preparado para comparecer perante o Tribunal de Deus a qualquer tempo.

Então:

  • Olhe para os avisos do passado;
  • Acerte sua vida com Deus no presente;
  • Prepara-se para o encontro com Ele no futuro.